O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player


Compartilhe

Previsão do Tempo

Horóscopo

O que está rolando no Twitter

Enquete

Mural de Recados

Nome:

Cidade:

E-mail:

Recado:



Notícias
Talos e cascas podem ser aproveitados Bookmark e Compartilhe
Publicado em: 12-01-2017


Uma melancia pode significar muito mais do que uma boa opção de fruta para o lanche. Além da polpa, geralmente consumida em pedaços ou em forma de suco, esta fruta tem ingredientes que podem integrar uma refeição mais completa. As sementes torradas podem ser transformadas em um saudável tira-gosto. Separadas, as partes branca e verde da casca podem enriquecer um ensopado de carne e ainda ser a base de um doce. Basta um pouco de conhecimento para garantir o consumo praticamente integral dos alimentos e, assim, evitar o desperdício.

Nutricionista do programa Alimentação Saudável do Serviço Social da Indústria (Sesi-PA), Sheyze Alves destaca que, se manuseados da forma correta, é possível aproveitar até 99% de frutas, verduras e legumes. Quando se desperdiçam as cascas, sementes, folhas e talos dos alimentos, o que está indo para o lixo são fontes de nutrientes. “Com cascas de banana é possível fazer bolos, farofa. A casca do abacaxi é muito boa para sucos. A do chuchu pode ser usada nas saladas”, exemplifica. “São alimentos que normalmente são desperdiçados, mas que podem ser consumidos”.

No Pará, não se encontrou dados sobre desperdício de alimentos. Na prática, porém, os maus exemplos podem ser constatados por qualquer um. Em meio à movimentação intensa na Central de Abastecimento do Pará (Ceasa), no Curió-Utinga, em Belém, é comum encontrar quantidades consideráveis de frutas e verduras descartadas no lixo e até mesmo no chão, mesmo que ainda ofereçam condições de consumo.

Exemplo de como tais alimentos ainda podem alimentar muitas bocas é a presença constante de pessoas que começam a manhã selecionando verduras e legumes que foram jogadas no lixo. Depositados em um descampado próximo à mata, dezenas de repolhos garantiam, na manhã de quarta-feira (4), parte do sustento do feirante Édson Rocha, 44 anos. Demonstrando a habilidade de quem já faz esse trabalho há cerca de 20 anos, Édson retira com praticidade a primeira camada externa da verdura jogada no terreno. Em questão de segundos, o que se constata é que o repolho ainda está em perfeito estado. “A gente encontra muita verdura ainda em condição de consumir”, destaca.

Em outro ponto do mercado, os legumes recusados preenchiam um contêiner próprio para o depósito de lixo. Cenouras, tomates, pimentões se amontoam como se já não tivessem mais utilidade. Amenizando o desperdício, mais pessoas catavam os mais bem conservados para consumo.

Aproveitamento

Ainda que os cerca de 30Kg de legumes e verduras ‘garimpados’ no entorno da feira não cheguem à mesa da família, o peixeiro José Alves, 62 anos, garantirá que aquela quantidade de alimento não se perca no lixo. “Eu levo para os meus animais. Eu crio frango, coelho e pato.” Organizados em caixotes na bicicleta, bananas e folhas deixaram de ir para o lixo. Não fosse o olhar atento de José e de outras pessoas que catam alimentos dentre os desprezados na Ceasa, o número de frutas e verduras que iriam se decompor seria ainda maior. A Ceasa disse que, em parceria com os atacadistas, trabalha com a doação de frutas, legumes e hortaliças e que, no ano passado, 10 toneladas foram doadas para entidades cadastradas.

Cascas, talos e sementes são boas fontes de fibras

Mais do que uma medida de redução de gastos, a utilização quase integral de frutas, verduras e legumes é, principalmente, uma questão de nutrição. Normalmente desperdiçados, cascas, folhas, talos e sementes podem ser excelentes fontes de fibras. A nutricionista Sheyze Alves destaca que a ingestão de fibras é muito importante para o bom funcionamento do organismo. “Elas regulam o intestino e dão uma sensação de saciedade, o que ajuda a prevenir o ganho de peso”, destaca, ao lembrar que os benefícios vão além. “Pesquisas comprovam também que as cascas são ricas em vitaminas”.

Tabela

Uma tabela nutricional do Programa Alimente-se Bem, do Sesi de São Paulo, mostra que a casca do abacaxi, por exemplo, pode ter 61,5% a mais de vitamina C do que a parte interna da fruta. Já no caso da maçã, esse percentual para o mesmo tipo de vitamina aumenta para 102%. A casca da banana, ainda segundo a tabela, pode ter 106,6% a mais de potássio do que a parte que normalmente é consumida. Com relação às fibras, a quantidade presente na casca da laranja é 604% maior do que na polpa.

Dicas

Como prevenir o desperdício?

Comprar bem: evite excessos e escolha alimentos da safra, que possuem maior teor nutricional, durabilidade e menor quantidade de agrotóxicos.

Conservar bem: Armazene seus alimentos em locais limpos e na temperatura certa. Quanto às partes não convencionais, é possível armazená-las em saquinhos fechados separados ou embrulhá-as em papel filme e guardar na geladeira. Deve-se utilizar os produtos em até 48 horas ou congelar por até um mês.

Higienizar bem: As frutas, verduras, legumes, cascas, talos, sementes e folhas devem ser lavados um a um em água corrente e depois higienizados em solução de hipoclorito de sódio, para eliminar microrganismos.

Preparar bem: Não retire as partes não convencionais ou utilize-as para outras receitas. Prepare apenas a quantidade necessária para as refeições da família ou clientela,evitando sobras.

Exemplos do que pode ser aproveitado

Folhas: cenoura, beterraba, batata doce, nabo, couve-flor, abóbora, mostarda e rabanetes.

Cascas: batata inglesa, banana, tangerina, laranja, mamão, pepino, maçã, abacaxi, berinjela, beterraba, melão, maracujá, goiaba, manga e abóbora.

Talos: couve-flor, brócolis, salsa, agriãoe beterraba.

Sementes: abóbora, melão e jaca.

(Cintia Magno/Diário do Pará)

 
Comentários [0]

Antena C Online





Parcerias




::: www.radioantenac.com.br ::: Todos os Direitos Reservados.

Construção e Hospedagem: Midia Ambiente
(91) 4040-4573 / (22) 2778-3853